terça-feira, 13 de dezembro de 2011

"Nothing But the Beat" eleva David Guetta a herói da música eletrônica

David Guetta sobe ao palco cercado por luzes, dançarinos suspensos e efeitos pirotécnicos megalomaníacos que por vezes o ofuscam. Uma das cenas que abrem "Nothing But The Beat", documentário sobre o produtor francês que estreia nesta terça-feira (13), é uma amostra curiosa, mesmo que exagerada, da ascensão de sua carreira na última década. O filme, que leva o nome do último álbum do DJ, será apresentado no Facebook, à meia-noite. Repleto de elogios de Will.I.Am, Fatboy Slim e Ludacris, o documentário apresenta a história de Guetta como a jornada de um herói da música eletrônica. David começou no subúrbio de Paris, tocando hip-hop e house em clubes gays até conseguir emplacar sua primeira festa de sucesso no início da década de 90. Hoje é conhecido como "nº 1 do mundo" eleito em 2011 pela revista especializada "DJ Mag", com shows que levam até 80 mil pessoas para estádios europeus.
O filme reveza bastidores da vida do DJ em grandes festas com cenas cotidianas de trabalho onde está cercado de ídolos pop como Snoop Dogg, Kelly Rowland, Afrojack e Akon. Quando o assunto é sua vida pessoal, Guetta aparece de forma caricata, contando que as roupas são escolhidas pela mulher Cathy, descabelado dormindo pelos cantos e tímido com as câmeras. Os filhos do casal, Angie e Tim Elvis não aparecem em nenhum momento.

Assista ao trailer do documentário:http://www.youtube.com/watch?v=K1URpbaQ0KI


Nenhum comentário:

Postar um comentário